Collecting Souls – M&M

Eu ainda sou do tempo em que um certo wrestler, a começar no panorama da WWE, aparecia sempre a falar e com uma expressão característica. Até aqui tudo bem, podem ser dezenas as hipóteses. A particularidade é que o wrestler em questão não obtinha qualquer reacção a essa expressão ou a qualquer outra coisa que fizesse. Passava ao lado do público.

Entretanto cresceu, juntou-se a um outro com um enorme potencial, e fizeram uma das duplas de maior sucesso e reconhecimento dos últimos tempos. Conseguiram encontrar o seu espaço, evidenciando-se pelo (bom) humor, tinham química como equipa e demarcavam-se da concorrência por serem diferentes e, embora no limiar do estereótipo da estrela de Hollywood arrogante, por terem uma personagem conjunta única e original no meio de tanta pacatez criativa. Como já devem ter reparado, falo do The Miz.

Confesso que ao princípio passou-me completamente ao lado. E arrisco dizer que serão poucos aqueles que no início lhe augurariam algo de bom, ou no mínimo algo semelhante ao que tem agora. O que tem agora Miz que não tinha quando começou? Começando pelo que deixou de ter: uma expressão (“Hoorah!”) que não funcionava, de todo, e uma personagem a que ninguém ligava. Agora Miz tem uma personagem bem pensada e construída com tempo, ao longo de largos meses, sempre com paciência e pautada pela sensatez do momento de o «lançar às feras». Não consigo imaginar este Morrison de hoje, se não tivesse havido um Miz. Mas também não consigo fazer o exercício de pensamento oposto. Ambos se complementaram bem e construíram-se mutuamente.

Agora Miz é um homem em crescimento em vários aspectos: (1) está a aprender no principal teste da WWE, o RAW; (2) tem uma espécie de rivalidade/quezília com uma das maiores estrelas da companhia dos últimos anos e – arriscando bastante num exercício de futurologia – uma das maiores figuras desta década que está prestes a terminar; (3) e tem uma coisa que não tinha na altura, a reacção do público. Neste momento consegue ter mais ou menos o público na sua mão, através daquilo que diz. Não são muitos que o conseguem, e isto é consequência do trabalho que foi feito anteriormente com Morrison. Aprenderam um com o outro a respeitar certos “timings”, a controlar o tempo de reacção do público ao que é dito e, principalmente, aprenderam como falar e como falar bem. Reconheço mérito ao Miz por este enorme crescimento, mas ainda tem muito para caminhar.

No fundo ainda sou céptico quanto ao futuro dele no wrestling. Penso que neste momento, o “hype” criado à volta dele, sendo imenso, não pode ser desaproveitado nem por parte da equipa criativa e restante direcção, nem por ele próprio. Ele tem aqui um voto de confiança gigantesco e só tem que continuar a trabalhar para melhorar cada vez mais. O potencial está lá, só é preciso adicionar mais trabalho e mais criatividade (associando a dele à dos responsáveis por esse departamento).

Um outro homem que quero destacar, é conhecido como Senhor Kennedy… Kennedy. Muito honestamente gostei do seu regresso. Não sendo completamente surpreendente, foi um segmento bem conseguido. A interacção dele com o Orton acabou por correr bem e viu-se alguma reacção do público, demonstrando uma base de fãs considerável. Sempre achei uma certa graça ao Mr. Kennedy. Penso que ele tem algo mais, algo diferente.

Resolvi deixar estar. Do parágrafo acima deste para cima, foi tudo escrito ontem. A partir deste para baixo, é uma crónica pós-despedimento. Optei por não tirar o parágrafo anterior para demonstrar a minha total surpresa com esta notícia. Aquilo que queria dizer, no seguimento do acima descrito, era que Mr. Kennedy ter regressado em grande seria um benefício de valor para o RAW. Tendo em conta as notícias de hoje, tudo isso é mais do que falso. Não há qualquer benefício a partir daqui. A não ser para a TNA…

Aparentemente, depois de um regresso, a meu ver, bem conseguido, no primeiro combate aparece-lhe uma nova lesão, segundo o que foi noticiado. É mesmo azarado, não haja dúvida. Teve em mãos uma estória que o lançaria para o estrelato, mas lesionou-se outra vez. Desde que se estreou em 2005 que as lesões para ele têm sido uma autentica praga, sendo que o salto foi sendo sempre adiado.

Agora, Ken Anderson vai ter que procurar novo trabalho. Só não se sabe é em que área. A sua condição física tem de ser colocada à prova, tem de ter a certeza de que está ao nível de se conseguir disputar combates com quem quer que seja, onde quer que seja. Provavelmente, se estiver bem fisicamente nos próximos tempos, será a próxima contratação da TNA. E parece-me que só têm a ganhar ambos os lados com essa contratação. Mr. Kennedy seguramente ganhará o seu espaço e a TNA é um bom palco alternativo para se mostrar e mostrar o que vale. Mas isto são só meras suposições e o quanto ao futuro apenas o tempo pode ditar o que acontecerá, nós cá estaremos para comentar.

E é tudo. Boa semana e bom wrestling.😉

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: