Tropicália 53: Wrestling contado por 4

Olá a todos!

Apesar de não ser, certamente, aquilo que assegurará as vendas de PPV’s ou o que fará vender mais produtos como T-Shirts, bonés, etc ou o que impulsionará uma companhia a vôos mais altos, o wrestling de equipas é, sem dúvidas, de suma importância para uma companhia. Apesar de um combate de equipas não fazer o espectáculo, certamente que ele o completa a bom nível.

A grande vantagem do combate de equipas é a sua versatilidade, que se traduz num grande leque de caminhos que o combate pode tomar, consoante os intervenientes no combate. A princípio, tal como num combate a dois, a diferença é que sendo um combate por equipas, temos quatro atletas para introduzir algo novo no combate cada vez que entra no ringue. Obviamente esta tarefa fica para os bons atletas e boas tag-teams, não para qualquer Cryme Time que apareça.

Construir uma equipa tag é bem mais do que juntar dois wrestlers, algo que as companhias teimam em fazer, principalmente quando não têm ideias boas para determinados wrestlers. Uma boa tag-team tem de ter um passado de experiência juntos, ou porque são irmãos, primos, amigos ou inimigos unidos pela necessidade. Tem de existir algo maior que os una, seja o grau de parentesco, seja a ganância por títulos ou a vontade de se vingar de alguém, caso contrário não será uma tag-team mas sim dois wrestlers que andam e actuam juntos. É bastante fácil de notar a diferença entre uma tag-team e dois wrestlers juntos, basta observar um combate entre uma equipa tag e aqueles ajuntamentos de wrestlers que existem no main-event quando não se tem espaço no programa para todos e juntam-se feuds que nada têm a ver umas com as outras. Se vocês não tivessem entendido o que eu queria dizer com a diferença que faz uma história comum para um tag-team e uma dupla de wrestlers que lutam juntos, certamente que agora já compreenderam bem.

Outra coisa interessante numa tag-team é que a possibilidade de mistura de estilos num combate é muito maior. Ora, uma combinação de diferentes tipos de wrestling entregue na mão de bons atletas, apenas poderá resultar em algo espectacular ou, no mínimo, algo divertido de se ver. Na minha opinião, melhores ainda são as tags em que os parceiros de equipa se complementam com estilos diferentes. E, dentre as tags que vejo em actuação, ninguém representa isso melhor do que LAX.

Para quem não conhece, esta é uma tag-team da TNA. Desde que acompanho a companhia, mais ou menos desde o fim de 2006, que esta é, para mim, a melhor tag-team do wrestling americano. Actualmente talvez esta já não seja mais uma verdade, outra tag-team da mesma companhia tem dado um banho de qualidade em todas as outras do território americano, pelo menos das que tenho visto combater.

Porém, sigamos falando dos latinos da TNA. Esta tag é constituído por Homicide e Hernandez.

O primeiro é o típico atleta digno da divisão X, rápido, ágil e de golpes de pouco impacto mas grande efeito. Porém, desengane-se quem pense que Homicide não está a altura de lutar contra uma tag-team de atletas mais corpulentos, ele consegue. E consegue por dois motivos: o primeiro é o facto dele ser um wrestler que sabe conduzir muito bem um combate, nunca se perdendo contra adversários de maior tamanho, baseando seus ataques, como deve ser, em golpes rápidos e contra-ataques. O segundo e maior (literalmente) motivo é o parceiro Hernandez. Um peso pesado com capacidade para se atirar ringue afora ou ringue a dentro. Hernandez é o socorro quando as coisas estão descontroladas, é o ponto de equilíbrio da tag-team. Não é raro ver Homicide encher os olhos do público enquanto Hernandez faz o trabalho sujo de destruir os adversários.

Os dois completam-se como feijão com arroz, numa perfeição simples intocável. De negativo, apenas o booking de que têm sido alvo. Um completo desastre, desde as feuds em que entram a maneira que perdem (frequentemente).

Espero que, com a boa notícia da volta antecipidada de Hernandez de sua lesão, também venha a noção positiva de boas feuds e, principalmente, um novo reinado para essa tag-team de luxo.

Deixo aqui uma bela amostra do que eles podem fazer, principalmente se acompanhados por adversários de luxo como são AJ Styles e Daniels.

Aproveito para deixar aqui uma nota para a tag-team da ROH, Steenerico. Tal como os LAX, uma equipa que mistura um acrobata, El Generico, com um wrestler de maior capacidade física, Kevin Steen. Ainda não vi muitos combates deles mas, a julgar pelo que já vi, é uma tag-team a se ter em conta para o presente/futuro.

Agora, mudando para panoramas, no mínimo, (muito) mais cinzentos. Nos encontramos numa empresa que abandonou a divisão de equipas praticamente, apesar de contar com pelo menos três equipas que chegam para montar uma boa divisão, fácil, fácil.

Comecemos pelos actuais campeões, os Colons. Uma tag-team formada de maneira algo forçada, afinal, era a única maneira de aproveitar o Carlito, que andava jogado as ruas da amargura, e de receber na companhia o recém chegado Primo Colon.

Ora, para não se ter de pensar muito, juntaram os dois aproveitando o facto de serem familiares e fizeram uma tag-team. Incrivelmente (ou não), formaram uma boa tag-team. Os dois com um estilo bem latino de wrestling e com uma química muito boa.

Não encontro grandes defeitos a apontar a tag, talvez apenas o facto de não empolgarem muito. Mas a grande responsabilidade por isso é a própria WWE, que simplesmente não deixa que se mostrem mais, já que não lhes dá adversário com que possam competir. E o pior é que eles existem!

Os Priceless estão aí cheios de vontade de lutar. Teriam uma boa rivalidade com os Colons, como já tiveram num passado bem recente.

Infelizmente, mais uma vez, a equipa criativa faz uma má opção, a meu ver. Prefere que os dois mais jovens da stable Legacy sejam os sacos de pancada da mesma, ao invés de fortalecer a stable com os títulos de equipas.

Existe ainda outra solução. A solução é pegar um wrestler com talento que por aí anda abandonado e juntar a outro que simplesmente não consegue subir na carreira, reformando uma tag-team que já deu provas de ser de qualidade e que, facilmente, ascenderia ao lugar de melhor tag-team da companhia. Falo, obviamente, da World’s Greatest Tag Team. Força, velocidade, agilidade, capacidade mais do que comprovada de construir bons combates e espectacularidade. É só juntá-los e esperar que eles acrescentem qualidade a divisão de equipas da WWE. Parece fácil, só não entendo o motivo de tanta má vontade com a divisão no seio da companhia…

Voltando a terras mais coloridas, entrarei agora num assunto que não domino muito, novamente a ROH. A verdade é que me interessei pela divisão de tag-team da companhia após ter visto o combate entre Steenerico e os American Wolves. Segui então a procura de mais tag-teams que actuem na companhia até ver finalmente um combate de uma tag-team que já tinha ouvido falar há algum tempo mas que nunca me tinha dado ao trabalho de observar um único combate, os Briscoe Brothers.

Desde que vi o primeiro combate, não mais deixei de procurar outros e outros.

Uma tag-team como há poucas actualmente. Os dois têm um estilo bastante parecido o que, a princípio, poderia tirar parte de meu interesse neles. Porém, tal não acontece devido a sublime capacidade deles de mudarem seus estilos ao longo do combate, tudo segundo uma ordem lógica no combate, não caídos do céu sem coerência alguma. Num mesmo combate eles passam de utilizar técnicas de submissão, a momentos mais de brawlers até high flying moves, qualidade e entretenimento puros.

Fenomenal é este combate que vos deixo, excelente para quem não conhece a equipa.

Para encerrar em beleza, pois este artigo já vai longo demais. Apresento, para quem não conhece, aquela que é, na minha opinião, a melhor tag-team do wrestling americano da actualidade, os Beer Money.

Para começar, a formação da tag-team foi um golpe de génio da equipa criativa, algo raro de se ver na TNA. James Storm, que sempre pensei, e continuo pensando, ter talento para estar no main-event, estava sendo mal aproveitado após a saída de seu ex-parceiro de tag-team, Chris Harris. Já Robert Roode sempre me irritou ver sempre no upper-mid card, pois reconhecia nele alguém que poderia dar muito certo na WWE mas não se adequava ao roster da TNA.

Se, a princípio, vê-los juntos me desagradava sobremaneira, rapidamente essa opinião minha se desvaneceu. A verdade é que essa tag-team, formada do nada, tal como eu não gosto que elas sejam formadas, é perfeita.

Juntaram dois heels com seus dois vícios e características marcantes, o amor pela cerveja e as batotas que consegue fazer com elas, de Storm e a prepotência e arrogância devido a conta bancária recheada de Roode.

Incrivelmente uma tag-team formada a força e contando com um wrestler que eu detestava (Roode) deu muito certo, tudo é perfeito: a química entre ambos é estrondosa, conseguem completar-se tanto em ringue como fazendo promos, o taunting deles (aquele grito de “Beer! Money! após aquelas pancadas que dão com os pés no chão) é um momento hilário e marca registada da tag-team, o sucesso dele é tal que mesmo quando eram heels assumidos o público gritava com eles as duas palavras que formam o nome da equipa, os dois evoluíram bastante em ringue, nunca tinha visto Storm tão rápido e Roode com um move-list tão rico e diversificado e ainda se junta uma valete que sempre dá uma forcinha na hora de roubar uma vitória.

Esta é mesmo uma tag-team de eleição e que só tem a melhorar com o constante enriquecimento da divisão de equipas da TNA, com o afincar de seu estatuto de heel, que foi quebrado com a chegada da British Invasion e com um investimento pesado da equipa criativa neles de maneira a que eles não sejam apenas uma aposta segura para a divisão tag-team mas também sejam aposta credível para o main-event da companhia.

Aqui fica um combate de nível entre os Beer Money e Team 3D no último Lockdown.

Lockdown 2009 pt.9 – Beer Money Inc. vs Team 3D 1/2
Enviado por iturriwrestling. – Futebol, capoeira, surfe e mais videos de esportes.

Lockdown 2009 pt.10 – Beer Money Inc. vs Team 3D 2/2
Enviado por iturriwrestling. – Ver os últimos e melhores videos de esportes.

Ainda poderia me alongar mais algumas linhas falando dos American Wolves, promissora tag-team da ROH, dos Motor City Machine Guns que, apesar de não entrarem na briga directa na divisão de equipas da TNA, são a tag-team mais entusiasmante que existe actualmente ou a surpresa que foi a tag-team/stable British Invasion na TNA. Infelizmente isto aqui já está longo demais e vou deixar esses astros em potência para um futuro, quando os seus talentos se confirmarem.

Até a próxima!

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s


%d bloggers like this: